Buscar

Alan Turing: Pai da Ciência da Computação

Hodiernamente, o uso de microcomputadores e smartphone é algo cotidiano e corriqueiro. Acessar emails, assistir filmes, escutar músicas, fazer conferências e mandar mensagens estão a poucos cliques ou toques. Porém, você sabe como e quando começou-se a desenvolver tais tecnologias? Quem desenvolveu e qual o contexto histórico?


Durante a Segunda Grande Guerra, os integrantes do Eixo (união político-econômica formada pela Itália, Japão e Alemanha) utilizaram-se, durante muito tempo, de uma tecnologia construída no final da Primeira Guerra Mundial: a Máquina Enigma. Um mecanismo capaz de criptografar uma mensagem à partir de uma chave privada (se quiser entender um pouco mais de como o processo de criptografia funciona, leia nosso artigo sobre criptografia). Dessa forma, somente outros membros do Eixo poderiam descriptografar a mensagem e compreendê-la, mesmo que ela fosse interceptada pelos Aliados (união político-econômica formada pela Grã-Bretanha, França, Estados Unidos e URSS). A chave de criptografia era alterada todo dia, dificultando ainda mais o trabalho de compreensão da Máquina Enigma.





Numa grande tentativa de decifrar o que estava sendo transmitido pelo Wehrmacht (exército alemão), a Grã-Bretanha cedeu aos Aliados chaves criptográficas enquanto a França cedeu uma cópia da Máquina Enigma. Dessa forma, formou-se uma comissão de estudos em torno dos métodos e procedimentos necessários. Essa comissão contava com diversos cientistas de diferentes nacionalidades, entre eles, Alan Mathison Turing.

Alan Turing, como era conhecido, nasceu no dia 23 de junho de 1912, em Londres na Inglaterra. Seu pai trabalhava como oficial em Madras Presidency (uma região administrativa para gerenciamento da Índia, que na época era um território dependente da Inglaterra). Sua mãe, era filha de um engenheiro-chefe, e trabalhava com assuntos relacionados.