Buscar

Ada Lovelace: A primeira programadora da história

Augusta Ada Byron, conhecida como Ada Lovelace, nasceu no dia 10 de dezembro de 1815, em Londres. Desde criança, Ada teve um ensino rígido, por conta do medo que sua mãe, Anne Isabella, nutria da filha adotar o estilo de vida idêntico ao de seu pai, Lord Byron, que enlouqueceu. Logo, Ada criou um pensamento crítico bem desenvolvido e um nítido interesse em engenharia, matemática e lógica. Dessa forma, aos dezessete anos, suas habilidades em matemática chamavam a atenção de seus tutores.

Na mesma época foi a um dos eventos sociais onde conheceu Charles Babbage. Ele, junto a astrônoma Caroline Herschel, tinham iniciado um projeto para produzir tabelas de dados para a nova Sociedade Astronômica. O trabalho era manual e estava sujeito a erros humanos, visto a grande quantidade de informações. Esses e outros motivos levaram Babbage e Herschel a criar um projeto que visava a automação dessas tabelas, conhecido como Máquina Diferencial.


A Máquina Diferencial fora uma ideia tão revolucionária para a época que a Sociedade Astronômica concedeu uma medalha aos astrônomos, enquanto o governo britânico resolveu financiar a construção do projeto. Assim que Ada conheceu o protótipo da Máquina, aprofundou seus estudos em matemática, com o interesse de participar de seu desenvolvimento.

Babbage subestimava a inteligência e capacidade da jovem Lovelace, tentando entretê-la com projetos menos complexos e desinteressantes. Porém, a mesma não aceitava, e cada vez mais, buscava aprimorar seus conhecimentos. Dessa forma, após certo tempo, Babbage reconhece seu erro, e começa a encarregá-la sobre temas mais difíceis e até sobre problemas acerca da Máquina Diferencial.


Em 1835, aos dezenove anos, conheceu William King, de 30 anos, e no mesmo ano, casaram-se. Quando adulta, continuou desenvolvendo suas habilidades e paixão pela matemática e seus estudos, tornando-se uma grande matemática e cientista. Futuramente deu luz a três filhos e, desta forma, ficou conhecida como Condessa Lovelace.

Anos passaram-se e Babbage via seu projeto transformando-se cada vez mais em utopia. Porém tanto ele, quanto Ada, não desistiram da Máquina. Charles aprimorou o protótipo do projeto: agora não era apenas uma máquina que calcularia polinômios, mas sim, uma máquina que calcularia qualquer tipo de operação. Portanto, passou-se a chamar Máquina Analítica, um computador rudimentar.

O governo italiano convidou Babbage para uma convenção na Universidade de Turim, onde palestrou sobre a Máquina Analítica. Nessa palestra, o engenheiro militar Luigi Menabrea fez anotações, das quais, tornou-se a principal documentação do projeto do Babbage, uma vez que, o mesmo não publicou nada acerca de seus estudos.

Em meio a tudo isso, Ada Lovelace, resolveu traduzir o artigo de Menabrea e enviar para uma editora britânica. No entanto, ela não apenas traduz, mas também acrescenta diversas notas sobre o mesmo. Tais notas, eram três vezes maiores do que as originais e incluíam, em detalhes, um método para calcular a Sequência de Bernoulli com a Máquina Analítica, que poderia ter sido executada, sem nenhum problema, se tivesse sido construída.